Médico pode fazer promoção na Black Friday?

Sigam-nos os bons

Um marketing médico ético precisa seguir as normas do Conselho federal de Medicina, e para seguir a sua conduta, fizemos esse artigo para maiores esclarecimentos.

No Brasil já virou tradição todo ano as empresas realizarem a famosa Black Friday, em que a ideia central é proporcionar descontos para diversas categorias de produtos com o objetivo de queimarem seus estoques antes de começarem a comercializar novos produtos para o natal.

Imagem Médico pode fazer promoção na Black Friday?

Acontece que, por aqui as coisas se tornaram um pouco diferentes:

  • Produtos com “promoções fakes”;
  • Aumento de preço para quando colocarem a porcentagem de desconto o valor final permanecer o mesmo anterior;
  • Apenas roupas e produtos de coleções passadas, muito antigas, em promoção;

E como Black Friday virou sinônimo de “descontão” com campanhas de nível nacional, empresas de outros segmentos, não apenas varejo, também se aproveitaram da data para oferecer cursos, prestação de serviço, vendedores de software, etc..

Mas será que o médico pode entrar nesta brincadeira também?

A resposta é não:

“Na propaganda ou publicidade de serviços médicos e na exposição na imprensa ao médico ou aos serviços médicos é vedado divulgar preços de procedimentos, modalidades aceitas de pagamento/parcelamento ou eventuais concessões de descontos como forma de estabelecer diferencial na qualidade dos serviços;”

Por conta disso, o médico não pode dizer que está participando de uma Black Friday, pois isso indicaria eventuais concessões de descontos nos tratamentos oferecidos.

É bom deixar claro que estes casos acontecem com frequência em médicos que trabalham com a estética e cosmiatria, e não os profissionais que atuam especialmente no tratamento de doenças, ok?

Voltando às normas, como o médico pode se promover se não pode oferecer desconto?

Na verdade, a pior forma de se promover é dando desconto. Claro que uma facilidade na hora do pagamento, uma condição especial para o cliente voltar para a casa sorrindo não faz mal a ninguém, inclusive, é possível fazer esse tipo de ação, porém não é permitido divulgá-la. O que não pode acontecer é realizar promoções para conquistar o cliente. Você vai ficar conhecido como o médico do desconto e não pelo profissional qualificado que é.

O ideal é você gerar valor através de informação na internet para conquistar autoridade e reconhecimento. Desta forma, as pessoas não irão em uma consulta porque é o mais barato, e sim, pela confiança que você transmite.

Rodolfo Freire

Trabalha com marketing digital a mais de 10 anos e pra área da saúde desde que fundou a Design Kapital. Gosta de um bom livro de gestão e filmes medievais, de jogar videogame e praticar crossfit, de viajar pelo mundo e manter uma rotina, está a todo tempo pensando em como otimizar sua entrega para os clientes e manter um ambiente de trabalho agradável para a empresa. Acredita que o equilíbrio é fundamental.