3 Técnicas de Neuromarketing para começar a usar a partir de agora

Tomamos decisões de forma inconsciente todos os dias. Isto é, você não precisa pensar muito para realizar ações que fazem parte do seu cotidiano, como dirigir, tomar café da manhã ou escovar os dentes. Seu corpo já executa essas atividades inconscientemente. Sua mente já está condicionada a tomar pequenas decisões.

E é isso que estuda o Neuromarketing, a mente dos consumidores. A forma como pequenos detalhes influenciam naturalmente a tomada de decisão. É engraçado como a parte inconsciente da mente influencia muito mais na sua vida do que você imagina.

Pode até parecer uma ciência baseada no achismo, mas as evidências e diretrizes utilizadas em Neuromarketing são resultados de estudos comportamentais aliados a tecnologias, como eletroencefalografia, eletromiografia facial e eye tracking, que medem as reações e micro expressões geradas por pequenos estímulos.

Ok, mas como aplico o Neuromarketing no meu dia a dia? Separamos 3 dicas de estratégias que você pode começar a utilizar desde já. Confira:

1. Neuromarketing & Marketing de Conteúdo (Inbound Marketing)

CUIDADO!

O que você pensa ao ser pego de surpresa com alguém gritando ‘CUIDADO”?

Certamente fica alerta e isso é normal. No Neuromarketing nosso cérebro é dividido em 3 partes: Racional, Emocional e Primitivo (Repitiliano/Complexo-R). A parte primitiva é a que está sempre alerta, responsável por nos manter vivos e pelo comportamento automático. É o cérebro repitiliano quem age por nós de forma inconsciente na tomada de decisões, é o nosso “instinto”, o que nos rege e interpreta rapidamente mensagens transmitidas de forma clara e sucinta.

Pense nisso quando desenvolver sua presença nas redes sociais. Transmita confiança, seja através de um texto, ou uma foto. Procure ser claro, didático e simples. Se possível, use metáforas. Conteúdo é rei, mas nem todos os seus seguidores são médicos e dessa forma, um texto escrito com uma linguagem técnica e complexa pode gerar mais confusão do que esclarecimento.

2. Neuromarketing & Minha Clínica

Imagine-se caminhando pela rua até que, de repente, seu olfato é tomado por um delicioso cheiro de bolo recém assado. É de encher a boca, certo? Aposto que isso traz boas recordações e te faz até lembrar daquela avó que adorava mimar os netos. Esse foi um dos pontos que trouxeram sucesso as lojas de bolos caseiros que invadiram os grandes centros no último ano. Mexer com os sentidos desperta nosso inconsciente, traz recordações e gera ações que as vezes nem sabemos o porquê, mas fazemos.

Calma, não precisa assar um bolo na sua Clínica, mas pense em como tornar o ambiente agradável e aconchegante. Invista em uma boa iluminação, em um cheiro ambiente… Pense em como utilizar os sentidos a seu favor.

 3. Neuromarketing & Relacionamento

Positivismo é a chave em um primeiro contato. Por mais que seja difícil quebrar o gelo e estabelecer uma breve relação em uma consulta, o tempo que o paciente passa com o médico é fator decisivo em como ele contará aos amigos e familiares sobre a experiência da consulta. E acredite, ele vai contar. O velho marketing boca a boca ainda existe e é ainda mais abrangente do que no tempo dos nossos pais, ele foi ampliado pelas redes sociais.

Seja positivo, dê exemplos, conte histórias… Essas pequenas ações influenciam na sua imagem, e principalmente no que dirão sobre você, afinal, você é a sua marca.


Sivaldo Oliveira
Sivaldo Oliveira

Publicitário por vocação e formação. Especialista em Design Estratégico de Marcas pela FACAMP, entusiasta de redes sociais e apaixonado por marcas. Escreve sobre branding e assuntos relacionados.